A polícia fez “enormes progressos” na investigação e continua a explorar “pistas importantes”, disse Mark Rowley à imprensa.

O responsável afirmou também esperar que alguns detidos, que terão ajudado o bombista, Salman Abedi, sejam formalmente acusados. “Haverá julgamentos”, disse.

Mark Rowley disse ainda que a polícia reavaliou a segurança de 1.300 eventos previstos para todo o país e, dirigindo-se à população, disse: “Saiam como planeado e divirtam-se”.

No âmbito das investigações a este atentado, foram detidas até agora no Reino Unido 10 pessoas, duas das quais libertadas depois de interrogadas, e outras duas pessoas foram detidas na Líbia.

O atentado de segunda-feira em Manchester (noroeste de Inglaterra), que fez 22 mortos, além do atacante, e 75 feridos, ocorreu junto à Manchester Arena, onde decorria um concerto a que assistiam muitas crianças e jovens.

O ataque foi cometido por um bombista suicida e reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.