O abalo de magnitude 6,7, segundo o instituto geológico norte-americano, e de magnitude 6 segundo o Observatório de Atenas, foi sentido às 01:31 de hoje (23:31 de quinta-feira em Lisboa) e o seu epicentro foi localizado a 20 quilómetros ao largo de Kos.

"Temos dois mortos e feridos. O teto de um edifício veio a baixo", disse o diretor do hospital de Kos à AFP. Segundo os bombeiros, um bar funcionava no prédio que desmoronou no centro da cidade.

Um helicóptero com seis membros dos serviços de emergência saiu da ilha vizinha de Rodes para Kos com o objetivo de ajudar na retirada das pessoas presas nos escombros do bar.

O autarca de Kos, Georges Kiritsis, confirmou à agência de notícias grega Ana a morte de duas pessoas na ilha e relatou "numerosos feridos".

Segundo Kiritsis, os dois mortos eram "estrangeiros".

Uma jornalista de Kos entrevistada pela rádio Skai informou que as duas vítimas fatais não estavam no bar, e sim na rua, onde foram atingidas por um prédio antigo que desmoronou.

O número de feridos ultrapassa as 120 pessoas, revelou o secretário da Marinha Mercante, Nektarios Santorinios.

O sismo sacudiu a costa ocidental da Turquia e sobretudo Bodrum, onde provocou numerosas rachas nos edifícios, obrigando a evacuar o hospital da cidade por precaução, segundo a imprensa local.

"O maior problema são os cortes de luz em algumas zonas (da cidade)", declarou ao canal NTV o prefeito de Bodrum, Mehmet Kocadon, acrescentando que não há mortos ou feridos na cidade.

O hospital de Bodrum teve de ser evacuado após o surgimento de rachas nas paredes.

A mesquita de Adliye, no centro da cidade, também ficou danificada e a polícia isolou a área por precaução, segundo a agência de notícias Anatólia.

O sismo também abalou a península de Datca - outra importante zona turística - e Esmirna, a terceira cidade da Turquia, além da ilha grega de Rodes.

Segundo a TV turca, o sismo provocou ondas diante de Gumbet, na zona de Bodrum, que inundaram uma estrada.

A correspondente da AFP em Bodrum sentiu vários tremores secundários.

"Fomos surpreendidos. Ficamos assustados e saímos imediatamente", explicou Teddy Dijoux, um turista que está com a família na ilha de Rodes.

"Durou muito tempo. Reuni meus filhos para abandonar o hotel", contou Sylvie Jannot, outra turista.

Turquia e Grécia estão situadas numa falha geológica e sofreram vários terremotos nos últimos anos.

A 17 de agosto de 1999, um terremoto de mais de 7 graus na escala Richter na região de Esmirna arrasou amplas zonas do noroeste da Turquia, matando 17 mil pessoas.

(Notícia atualizada às 09h25)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.