A doença do legionário — um tipo de pneumonia —, provocada pela bactéria 'Legionella pneumophila', contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

E se parecia que não se falava de legionella há uns tempos, nos últimos dias foram várias as notícias que surgiram sobre esta doença, nomeadamente em Caminha, no Alto Minho. Mas a Galiza também está a ser afetada.

Quantos casos foram registados em Portugal? 

O primeiro doente de Caminha infetado com legionella foi notificado às autoridades de saúde no dia 10 de novembro e o oitavo no dia 21. Os infetados residem em Vila Praia de Âncora, em Moledo e em Vilarelho, naquele concelho.

E na Galiza?

O surto de legionella afetou 10 pessoas nos concelhos de A Guarda e O Rosal. Em comunicado, o Departamento de Saúde da Xunta da Galiza diz que permanecem hoje três pessoas hospitalizadas (uma em cuidados intensivos).

Os casos estão relacionados?

Na segunda-feira, o departamento de Saúde da Galiza revelou estar a colaborar com Portugal na investigação dos casos de ‘legionella’ naquela região espanhola e no concelho de Caminha, visando apurar se os 18 casos identificados estão relacionados.

O departamento de Saúde da Xunta da Galicia continua ainda a investigar a origem do surto.

A investigação surge essencialmente por motivos geográficos: A Guarda fica em frente ao concelho de Caminha. Os dois municípios estão separados por cerca de seis quilómetros e pelo rio Minho, não existindo uma ligação direta entre as duas margens.

“A direção geral de Saúde Pública continua a investigar a origem do surto, não se podendo ainda concluir qual a fonte de exposição” à bactéria, acrescentaram as autoridades da Galiza.

Quais os sintomas da legionella? 

Habitualmente, os primeiros sintomas surtem entre cinco a seis dias após terem sido inaladas as gotículas de vapor de água contaminada.

Tal como em qualquer infeção respiratória, o doente pode ter dores de cabeça, tosse, arrepios, febre alta, falta de ar, dores musculares, diarreia e vómitos.

Todavia, é importante recordar que esta doença não se transmite de pessoa para pessoa nem através da ingestão de água contaminada.

Quanto ao tratamento, a legionella costuma ser tratada com recurso a antibióticos — e em casos mais graves com recurso ao internamento hospitalar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.