O DCCC, comité democrata responsável pela angariação de fundos para os representantes do Congresso, foi alvo de um "incidente ligado à cibersegurança", indicou a responsável nacional de Comunicação, Meredith Kelly. "A investigação está em andamento. A partir das informações de que dispomos, os investigadores indicaram-nos que havia semelhanças com outros factos recentes, incluindo a ciberpirataria [de que foi alvo] do Comité Nacional Democrata", explicou, numa nota.

A equipa de Hillary Clinton também disse ter sido afectada pelos ataques de hackers. "Um programa de análise de dados administrado pelo Partido Democrata e usado por nossa campanha e por diversas organizações foi afectado no ciberataque ao partido", confirmou o porta-voz da campanha da candidata à Casa Branca, Nick Merrill.

"O sistema informático da nossa campanha está a ser verificado pelos nossos especialistas em segurança informática. Até agora, não encontraram indicações de que nosso sistema interno tenha sido comprometido", acrescentou Merrill. "O FBI está a par das informações da imprensa sobre os ciberataques que implicam vários organismos políticos, e trabalhamos para determinar a natureza e a amplitude dessa pirataria", disse a Polícia Federal, num comunicado.

Na semana passada, três dias antes do início da Convenção Democrata, a organização WikiLeaks publicou quase vinte mil e-mails de contas de sete lideranças democratas, expondo as tentativas de afastar o adversário de Hillary Clinton, o senador Bernie Sanders, das primárias democratas. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.