Donald Trump declarou diversas vezes durante a campanha considerar o aquecimento global “um embuste” e prometeu cancelar o acordo climático de Paris, destinado a fixar o aquecimento global em dois graus Celsius acima dos níveis da era pré-industrial.

Um dia depois de a Cimeira do Clima das Nações Unidas ter terminado, em Marraquexe, Marrocos, Hollande avisou o empresário de que não tem outra escolha a não ser respeitar os compromissos assumidos pelo seu antecessor na presidência dos Estados Unidos, Barack Obama.

“Este acordo de Paris é irreversível, ninguém pode abandoná-lo”, afirmou hoje Hollande num discurso no sudoeste de França, citado pela agência France Presse.

“E mesmo que ele se sinta tentado, haverá forças, entre estas a democracia norte-americana, que irão assegurar que tal é respeitado”, disse.

O Acordo de Paris, que entrou em vigor a 04 de novembro, pretende reduzir as emissões de gases com efeito de estufa responsáveis pelas alterações do clima, que podem provocar fenómenos extremos, como ondas de calor ou picos de chuva.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.