“A forma como temos sido taxados pelas autoridades nacionais está, do nosso ponto de vista, em conformidade com as regras da UE”, indicou a Ikea em comunicado enviado à AFP, garantindo ainda que está disponível para “cooperar e responder às questões das autoridades holandesas e da Comissão Europeia”.

A Comissão indicou suspeitar que o grupo Inter Ikea, que explora o ‘franchising’ da Ikea, tenha obtido “vantagens fiscais que não beneficiam outras empresas submetidas às mesmas regras fiscais na Holanda”.

Se for esse o caso, trata-se de uma violação das regras da concorrência, que cabe à Comissão garantir.

A cadeia sueca insiste que o grupo Inter Ikea, incluindo a sua filial holandesa, compromete-se a pagar “as taxas e a respeitar as leis e regulamentos” em todos os locais onde está presente.

A Ikea teve em 2015-2016 um lucro recorde de 4,2 mil milhões de euros e as suas vendas são de quase 40 mil milhões de euros.

A cadeia sueca, controlada através de uma estrutura complexa pela família do fundador Ingvar Kamprad, de 91 anos, tem atualmente mais de 400 lojas em cerca de 50 países.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.