"Uma área de 3.000 m2 pegou fogo num dos edifícios industriais da rua Stromynka, em Moscovo, fazendo com que o telhado desabasse", indicou num comunicado a comissão de inquérito local. "Doze corpos foram encontrados", informou a porta-voz do ministério de Situações de Emergência, Oksana Zolotova, à agência de notícias TASS.

O ministério tinha dito, num primeiro momento, que não havia nenhuma vítima mortal, antes de os investigadores anunciarem a descoberta dos cadáveres. As vítimas são, provavelmente, trabalhadores migrantes empregados na fábrica e que viviam no local, segundo as autoridades. "Três crianças morreram, incluindo um bebé", afirmou no Twitter o comissário russo para os direitos da criança, Pavel Astakhov.

"As primeiras indicações sugerem que os migrantes viviam no seu local de trabalho, alguns com os filhos", escreveu o oficial. O incêndio começou por razões ainda desconhecidas no sábado às 18h00 GMT e foi extinto cerca de cinco horas mais tarde. O comité de investigação russo anunciou que abriu uma investigação para determinar se o incêndio foi o resultado de negligência ou provocado deliberadamente. 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.