O incêndio — cuja causa é ainda desconhecida – teve início nas instalações da empresa em Alt Tellin, no nordeste da Alemanha, e espalhou-se rapidamente através de condutas de ventilação, destruindo as instalações onde estavam os animais.

Um porta-voz da operadora LFD Holding, Ralf Beke-Bramkamp, disse à agência de notícias alemã Dpa que morreram mais de 55.000 animais e apenas 1.300 foram resgatados.

Na altura em que o incêndio deflagrou, estavam registados naquela unidade de suinicultura, uma das maiores da Alemanha, cerca de 7.000 porcas e 50.000 leitões.

Grupos de manifestantes, carregando cartazes com ‘slogans’ como “Parem com a tortura de animais” reuniram-se, na quarta-feira, no local.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.