“Este concerto terá uma finalidade muito especial”, disse hoje à agência Lusa Tiago Nunes, presidente da CulturXis, a associação que está a promover o Ciclo de Concertos em diferentes espaços da cidade de Coimbra, entre 08 de outubro e 08 de dezembro.

Segundo Tiago Nunes, a ideia de avançar com o “concerto solidário”, na Casa Museu Bissaya Barreto, às 18:00, "partiu dos próprios artistas" Jaroslav Mikus (violoncelo) e Alfonso Benetti (piano).

“Eles decidiram nada receber pelo concerto, cujas receitas serão entregues, na totalidade, à Fundação Aurélio Amaro Diniz, de Oliveira do Hospital”, disse o jovem pianista, natural deste concelho do distrito de Coimbra, um dos mais afetados pelos incêndios de 15 e 16 de outubro.

O concerto de violoncelo e piano, no domingo, “convida a uma viagem exótica, desde a República Checa até ao Brasil, com uma breve paragem na Alemanha”, afirmou, realçando que o espetáculo é “marcado pelo caráter contrastante das peças que integram o repertório”.

As entradas custam sete e cinco euros (estudantes), mas os interessados podem adquirir “bilhetes donativos”, com valores entre 12 e 30 euros, nos balcões da FNAC, Worten e CTT, bem como na bilheteira ‘online’ do Ciclo de Concertos, cujo programa inclui nove sessões.

Tiago Nunes fez “um balanço muito positivo” dos três concertos já realizados, que tiveram “salas com bastante público”.

“Já temos um público muito fiel”, sublinhou. O III Ciclo de Concertos de Música de Coimbra começou no dia 08 de outubro, com a participação do ator António Capelo, que cantou e declamou poesia para assinalar os 40 anos da sua carreira artística.

Ao longo de dois meses, o ciclo está a passar por espaços como a Sé Velha, a Sé Nova, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, o Conservatório de Música, a Casa-Museu da Fundação Bissaya Barreto, o Museu Nacional de Machado de Castro e a igreja e o auditório principal do Convento São Francisco.

O concerto de encerramento, no dia 08 de dezembro, às 18:00, assinala o feriado da Imaculada Conceição, no grande auditório do Convento São Francisco, na margem esquerda do rio Mondego.

Nesta sessão, atua o Coro Sinfónico Inês de Castro, dirigido pelo maestro Artur Pinho Maria, que interpretará “A Criação”, a obra “mais emblemática” do compositor austríaco Joseph Haydn, salientou Tiago Nunes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.