“Profundo pesar e solidariedade para com Portugal e Espanha pelos novos fogos florestais. O Centro de Coordenação de Resposta de Emergência da União Europeia está a monitorizar de perto e em contacto constante”, pode ler-se numa mensagem publicada no Twitter do Comissário Europeu da Ajuda Humanitária e Gestão de Crises.

Na mesma mensagem, Stylianides acrescentou que o “#EUCivPro está pronto para ajudar”, referindo-se ao Mecanismo Europeu de Proteção Civil, que Portugal acionou na noite de domingo.

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 27 mortos e dezenas de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo assinou um despacho de calamidade pública, abrangendo todos os distritos a norte do Tejo, para assegurar a mobilização de mais meios, principalmente a disponibilidade dos bombeiros no combate aos incêndios.

Portugal acionou o Mecanismo Europeu de Proteção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos.

Ajuda da UE seguirá quando houver capacidade

“Recebemos um pedido para envio de ajuda aérea para combater incêndios” das autoridades portuguesas, os países participantes foram notificados mas ainda não houve resposta, disse o porta-voz para a Ajuda Humanitária, Carlos Ruiz De Gordejuela.

Segundo outro porta-voz, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, já falou com o primeiro-ministro sobre os "fogos florestais devastadores", em Portugal.

Pelo menos 27 pessoas morreram nos mais de 500 incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia do ano em fogos no país, revelou hoje a Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC).

Segundo a adjunta de operações da ANPC, Patrícia Gaspar, que falava no ‘briefing’ da manhã de hoje, as vítimas mortais foram registadas nos distritos da Guarda, Coimbra, Viseu e Castelo Branco.

Patrícia Gaspar disse ainda que, no domingo, foram registados mais de 500 fogos e, desde as 00:00 de hoje, as autoridades já registaram 110.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.