Em comunicado, a autarquia presidida por Humberto Oliveira informa que a medida foi aprovada na última reunião ordinária do executivo, sendo aquelas famílias abrangidas pela "isenção do pagamento do consumo de água e das tarifas variáveis de águas residuais e de resíduos sólidos" relativas a outubro, "sendo apenas pagas as taxas fixas".

“Não se pode prejudicar os consumidores pelo eventual consumo excessivo de água proveniente da rede de abastecimento público, contratualizada pelo município, e utilizada na defesa das pessoas e dos seus bens no incêndio que atingiu o concelho", refere Humberto Oliveira, citado na nota.

Para o autarca do PS, "não seria justo fazer com que as pessoas pagassem" pela água usada a "combater ativamente este incêndio", o que evitou "que a tragédia assumisse proporções ainda mais devastadoras".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.