“O Governo dos Estados Unidos atrasou a emissão do meu visto e do resto da delegação iraniana, impedindo-nos de participar na reunião de hoje nas Nações Unidas”, disse Abdollahian aos jornalistas em Teerão.

O chefe da diplomacia iraniana indicou que Washington concedeu os vistos à 01:00 de hoje, no horário local (21:30 de terça-feira em Lisboa), “o que tornou praticamente impossível a participação na sessão” da ONU.

Abdollahian afirmou que Teerão continua a trabalhar para manter a trégua na Faixa de Gaza e revelou que existe uma iniciativa para “estabelecer um cessar-fogo permanente”.

O Irão comanda o chamado Eixo da Resistência, uma aliança composta por organizações militantes como o movimento libanês Hezbollah, os rebeldes Huthis do Iémen, os grupos islamitas Hamas e a Jihad Islâmica, bem como uma variedade de grupos no Iraque e na Síria.

Teerão celebrou o ataque do Hamas contra Israel, em 07 de outubro, que deixou 1.200 mortos, e desde então tem alertado repetidamente para a possibilidade de os seus aliados abrirem outras frentes se os bombardeamentos sobre Gaza, nos quais morreram mais de 15.000 palestinianos, continuarem a acontecer.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.