As conversações entre os partidos para formar uma maioria “não alcançaram progressos”, disse Sergio Mattarella após a segunda ronda, que se realizou hoje.

A presidência, disse, pressionou os partidos quanto à “urgência” de ter um executivo funcional, citando as obrigações europeias de Itália e a tensão na Síria.

“Vou esperar alguns dias e avaliar como posso proceder para sair do impasse”, acrescentou.

Nas eleições gerais de 4 de março nenhum partido ou coligação obteve uma maioria clara no parlamento.

Nas rondas realizadas, a coligação de direita, formada pela Liga (nacionalista), Forza Italia (centro-direita) e Fratelli d’Italia (extrema-direita) e que teve 37% dos votos, voltou a reivindicar o direito a governar.

Mas o populista Movimento 5 Estrelas (M5S), que teve 32,6%, recusa negociar o apoio a um governo de que faça parte a Forza Italia, do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, seu adversário histórico.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.