No total 1.848.658 pessoas participaram na votação que decorreu no domingo, segundo o PD, menos do que os 2,8 milhões que participaram nas primárias em 2013.

Os dois rivais de Renzi, Andrea Orlando, atual ministro da Justiça, e Michele Emiliano, considerados mais à esquerda, obtiveram 19,5% e 10,49% dos votos, respetivamente.

"Esta é uma responsabilidade extraordinária, agradeço de todo o coração aos homens e mulheres que acreditam na Itália. Avançamos juntos!", afirmou Renzi no domingo à noite.

O antigo primeiro-ministro italiano, 42 anos, demitiu-se em dezembro, após uma derrota no referendo constitucional e em fevereiro deixou a liderança do PD, procurando nova legitimidade face à contestação que surgiu na ala mais à esquerda do partido.

Agora deverá preparar-se para as próximas eleições legislativas, previstas para o início de 2018. Segundo a imprensa italiana, Renzi gostaria que a votação fosse já no outono.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.