Foi um Jerónimo de Sousa crispado que se apresentou à comunicação social após conhecidos os resultados eleitorais na Madeira que ditaram a redução da força parlamentar da CDU a um deputado.

"O resultado não é separável da operação dirigida há meses para animar uma bipolarização artificial para credibilizar o PS como hipotética alternativa, ignorando os elementos que fazem deste partido uma mera fotocópia do PSD", ", afirmou o líder comunista.

Jerónimo de Sousa referiu-se ainda a "sondagens encomendadas para preencher a notória falta de crédito do PS com o objetivo de amputar a livre expressão do voto de cada um".

"Continuarão a contar com a ação determinação e coragem da CDU", disse, "ainda que sem a força que é necessária"

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.