Esta vacina foi, em meados de março, a quarta a obter a autorização da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), depois das da Pfizer-BioNTech, Moderna e AstraZeneca. Atualmente é aplicada apenas nos Estados Unidos e África do Sul, mas já foi aprovada pelo Canadá.

Para aumentar a sua produção e responder à procura, a Johnson & Johnson fechou vários acordos nos últimos meses com laboratórios europeus, que serão responsáveis pela sua embalagem: Sanofi, em França; Catalent, em Itália e IDT Biologika, na Alemanha.

O princípio ativo, que fornece eficácia à vacina, será produzido no centro que a Johnson & Johnson possui em Leiden, na Holanda.

A União Europeia, que fez um pedido de 200 milhões de doses ao laboratório americano (com opção para outros 200 milhões de doses adicionais), receberia cerca de 55 milhões de doses no segundo trimestre do ano, explicou em março Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. O laboratório não comunicou o calendário exato das suas entregas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.