“É inimaginável que a China substitui-a os EUA na liderança do mundo”, escreve o Global Times, jornal de língua inglesa do grupo do Diário do Povo, o órgão central do PCC.

Em editorial, o jornal sustenta que é “improvável” que o Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, siga a via isolacionista, apesar da sua intenção de recuar na estratégia global norte-americana.

“Os EUA investiram muito para manter essa liderança e obtiveram também benefícios consideráveis. Num futuro próximo, é impossível para Washington abdicar da liderança global”, escreve o jornal.

O comentário surge numa altura em que o Presidente chinês, Xi Jinping, realiza um périplo pela América Latina, que inclui visitas a três países, visando reforçar os laços com a região.

Trata-se da terceira visita de Xi à América Latina, desde de ter ascendido ao poder, em 2013, e prevê reforçar os tratados de livre comércio com a Costa Rica, Chile e Peru e negociar novos acordos com o Uruguai e a Colômbia.

Nos últimos dez anos, os dois maiores bancos de desenvolvimento da China injetaram 125 mil milhões de dólares na América Latina.

Já a estratégia de Trump para a região inclui romper com o Tratado Norte-Americano de Comércio Livre (NAFTA) e abandonar a Parceria Transpacífica (TPP), para além de construir um muro na fronteira com o México.

Na Ásia, onde a administração do atual Presidente norte-americano, Barack Obama, reforçou a presença militar e diplomática de Washington, Trump colocou em causa a aliança com o Japão e a Coreia do Sul, afirmando que os EUA gastam muito dinheiro para cobrir a sua defesa.

Para o Global Times, a participação chinesa na governação mundial “será um processo natural e gradual”.

“Pequim não pode escapar ou apressar esse processo”, conclui.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.