"Os brasileiros devem se mobilizar, ir para as ruas e reivindicar com força: a renúncia imediata de Michel Temer" escreveu em uma mensagem publicada na rede de mensagens Twitter.

Usar “o Palácio do Jaburu [sede do Governo] para pedir propina (suborno) a um empresário, seria um motivo forte o bastante para se desencadear um clamor pela sua renúncia", completou o magistrado.

Joaquim Barbosa ficou conhecido no caso do ‘mensalão’, um escândalo de compra de apoios no Congresso brasileiro, que abalou o primeiro Governo do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O juiz, que deixou o STF em 2014, também fez críticas às repercussões das gravações que comprometeram Michel Temer.

"Líderes políticos, empresariais, parte da mídia se incumbiram de minimizar a gravidade dos fatos" e “nada aconteceu, não é mesmo?" - ironizou Joaquim Barbosa.

Após a divulgação de áudios gravados pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa JBS, relativa a uma conversa comprometedora que teve com o chefe de Estado brasileiro.

Michel Temer disse publicamente que não renunciará e alegou que as investigações do STF provarão que ele é inocente.

No entanto, a declaração não minimizou o estrago que o escândalo causou na sua imagem. O Presidente brasileiro já era extremamente impopular e, segundo uma pesquisa do Instituto Datafolha divulgada em abril, seu Governo tem apenas 9% de aprovação.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.