O PNG, responsável pelo cuidado da reserva natural, indicou nas redes sociais que os socorristas que realizavam trabalhos de limpeza costeira na área "intervieram imediatamente para libertar o pequeno mamífero da corda mortal".

Nas ilhas, localizadas a 1.000 km da costa do Equador, são conservadas uma dúzia de espécies de tartarugas de Galápagos (Chelonoidis), além de iguanas terrestres e marinhas, leões marinhos, uma grande diversidade de aves e o maior número de espécies endémicas no planeta.

A entidade ambiental explicou que, durante o resgate, a mãe do leão-marinho teve de ser mantida afastada com uma rede para ser possível "intervir e cumprir o objetivo".

O arquipélago de Galápagos serviu de laboratório para o naturalista inglês Charles Darwin no seu trabalho no desenvolvimento da teoria da evolução das espécies.

A reserva marinha da região insular - criada em 1998 para proibir a pesca industrial - também é um santuário de baleias desde 1990.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.