"Sou uma das crianças que sofreu com a guerra na Síria", escreveu Bana al-Abed, a menina de 7 anos, retirada em dezembro de Alepo para a Turquia, numa carta transmitida pela sua mãe à BBC.

Na carta, Bana, que ficou conhecida pelas suas publicações na rede social Twitter onde expôs os horrores da guerra, explica a Donald Trump que sua escola em Alepo foi destruída por bombardeios e que muitos dos seus amigos morreram.

"Agora, na Turquia, posso sair e brincar. Posso ir à escola, apesar de ainda não ir. Por isso, a paz é importante para todo mundo, inclusive para o senhor", escreveu, dizendo que, no entanto, "milhões de crianças sírias não estão como eu neste momento e continuam a sofrer em diferentes regiões da Síria".

"É preciso fazer algo pelas crianças da Síria porque elas são iguais às suas crianças e merecem viver em paz como o senhor", diz ainda Bana.

Leia carta na íntegra:

"Caro, Donald Trump

O meu nome é Bana al-Abed e sou uma menina síria de 7 anos, de Alepo.

Vivi na Síria toda a minha vida, antes de ser retirada do este de Alepo em dezembro do ano passado. Sou uma das crianças que sofreu com a guerra na Síria.

Agora estou em paz na minha nova casa, na Turquia. Em Alepo, eu estava na escola, mas foi destruída pelos bombardeamentos.

Alguns dos meus amigos morreram.

Estou muito triste por causa deles, adorava que eles pudessem estar aqui comigo, porque assim podíamos brincar todos juntos. Eu não podia brincar em Alepo, era uma cidade de morte.

Na Turquia eu posso sair e brincar. Posso ir à escola, apesar de ainda não ir. É por isto que a paz é importante para toda a gente, incluindo para o senhor.

No entanto, milhões de crianças sírias não estão como eu neste momento e sofrem, em diferentes parte da Síria. Elas sofrem por causa dos adultos.

Eu sei que será Presidente da América, por isso pode salvar as crianças e as pessoas da Síria? Tem de fazer alguma coisa pelas crianças sírias, elas são como as suas crianças e merecem a paz tal como o senhor.

Se você prometer fazer alguma coisa pelas crianças na Síria, eu sou a sua nova amiga.

Fico à espera para ver o que vai fazer pelas crianças sírias".

*a carta foi escrita, segundo a BBC, no dia anterior à tomada de posse de Donald Trump.

Entre os mais de 300 mil mortos durante a guerra na Síria em seis anos, há pelo menos 15 mil crianças.

De setembro a dezembro de 2016, esta menina tornou-se num ídolo das redes sociais (@AlabedBana) ao tweetar, com sua mãe, sobre o inferno que era o quotidiano de Alepo. Algo que foi denunciado pelo governo de Bashar al-Assad como propaganda.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.