"Olá, sou Yulia Navalnaya. Alexei foi detido na entrada do prédio. Pediu que informasse que os nossos planos não mudaram: Tverskaya", escreveu, uma referência à rua do centro de Moscovo para onde está prevista a manifestação, cita a AFP.

A mensagem foi publicada na conta oficial de Navalny.

Escreve a Reuters que centenas de polícias estão destacados para o centro de Moscovo, afim de travar esta manifestação não autorizada, organizada pelo líder da oposição Alexei Navalny. O protesto é contra aquilo que Navalny considera um sistema corrupto liderado pelo presidente russo Vladimir Putin.

A escala do protesto, explica a agência, servirá para 'medir o pulso' ao apoio a Navalny, que quer enfrentar Putin nas eleições presidenciais do próximo ano.

Um evento semelhante em março levou milhares de russos às ruas em todo o país - tendo sido a maior manifestação pública desde as demonstrações anti-Kremlin em 2012 - e resultou em mais de mil detenções.

Detalha a Reuters que as autoridades de Moscovo autorizaram uma localização longe do centro da cidade para o protesto, mas Navalny denunciou no domingo que as autoridades pressionaram os empresários para que não fornecessem aos organizadores do protesto material de som e de vídeo. Isto levou o líder da oposição a mudar unilateralmente a localização da manifestação para Tverskaya, uma rua principal de Moscovo, perto do Kremlin.

Face à decisão, o procurador-geral lembrou que desta forma o protesto era ilegal, pelo que as autoridades estavam autorizadas a "tomar todas as medidas necessárias" para evitar a desordem.

Por enquanto, escreve a Reuters, as sondagens mostram que Navalny não tem hipóteses de derrotar Putin, não sendo claro nesta altura se o líder da oposição será autorizado sequer a concorrer às presidenciais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.