“Eu estou recordado que, em 2016, quando João Soares ameaçou dois jornalistas com um par de bofetadas, o primeiro-ministro disse ao país que os membros do Governo até à mesa do café não se podiam esquecer dessa condição”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos, em Ansião (Leiria), adiantado que, então, António Costa “pediu desculpas” pelas declarações do ministro da Cultura e demitiu-o.

O presidente do CDS-PP adiantou que agora o secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, “ataca o jornalismo de forma deplorável, visando uma jornalista e um canal de televisão”, reafirmando que este se transformou “num ‘cowboy’ do teclado do Twitter, destilando ódio sobre um pilar fundamental” da democracia, que é a comunicação social.

“E do primeiro-ministro ainda não ouvimos uma única palavra. Não pediu desculpas, não demitiu o secretário de Estado”, declarou, acusando-o de estar a colocar em causa a independência e liberdade jornalísticas.

Para Francisco Rodrigues dos Santos, parece que o país caminha para uma ‘venezualização’ do regime, com o PS “cada vez mais distante da fonte luminosa” e “mais próximo de todos os tiques da decadência comunista”, com “toda a corrupção política e diminuição das liberdades que isso constitui”.

“Isto é grave e, portanto, eu exijo ao senhor primeiro-ministro que não só peça desculpas à comunicação social, ao jornalista e ao canal que foram visados, e demita o secretário de Estado João Galamba”, acrescentou.

O democrata-cristão notou que há, além deste, vários episódios recentes que “provam estes tiques da decadência comunista”, como a “violação do direito à propriedade privada e também da dignidade humana dos trabalhadores em Odemira” ou no caso da “falsificação de um currículo para seleção de um procurador para um cargo internacional”.

De acordo com os media, o secretário de Estado escreveu na rede social Twitter, no sábado, o seguinte: “Lamento, mas estrume só mesmo essa coisa asquerosa que quer ser considerada ‘um programa de informação'”, aludindo ao programa “Sexta às 9″.

Este ‘post’ foi reproduzido pelos media antes de ter sido apagado.

No domingo, a direção de informação da RTP repudiou as palavras de João Galamba que “atentam contra o bom nome da RTP e da sua jornalista Sandra Felgueiras” e desrespeitam a liberdade de informação.

Em 08 de abril de 2016, o então ministro da Cultura, João Soares, apresentou ao primeiro-ministro a demissão das suas funções no Governo, invocando razões de solidariedade com o executivo.

Um dia antes, João Soares tinha prometido, na sua conta no Facebook, “salutares bofetadas” ao colunista Augusto M. Seabra, na sequência das críticas deste à falta de linha de ação política e ao “estilo de compadrio, prepotência e grosseria”, e também ao colunista Vasco Pulido Valente.

Nesse dia, o primeiro-ministro pediu desculpa aos colunistas do jornal Público e pediu aos membros do Governo que sejam “contidos na forma como expressam emoções”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.