"Nunca houve tão poucos doentes à espera de uma consulta hospitalar como no ano de 2019”, afirmou a ministra da Saúde, avançando que as listas de pessoas à espera de uma consulta há mais de um ano foram reduzidas “em 40%”.

Os “dados provisórios” anunciados hoje em Santarém “só podem melhorar, não podem piorar”, disse Marta Temido, admitindo que ainda assim o Estado não cumpriu “na plenitude os objetivos traçados” para, em conjunto com os conselhos de administração, “controlar o problema das listas de espera”.

Daí que, “qualificação do acesso” [às consultas e cirurgias] vai manter-se como “uma prioridade no ano de 2020”, com o Governo a “precisar de investir para ter mais cuidados, em volume, em quantidade, mas também em qualidade, em humanização e em tempo resposta", acrescentou.

Marta Temido discursava no hospital de Santarém, “um dos que recuperou claramente no tempo de espera” e onde hoje foi inaugurada a requalificação do Bloco Operatório Central e do Bloco de Partos.

A intervenção nas duas unidades representou um investimento total de cerca de 6,5 milhões de euros, dos quais 4,1 milhões em obras e 2,4 milhões em equipamentos.

O investimento era aguardado há mais de sete anos e irá permitir reforçar a capacidade de resposta do Hospital de Santarém em termos de intervenções cirúrgicas e do número de partos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.