“Foi o Leo Messi, depois em algo do género Iniesta [médio internacional espanhol, mas o Leo tem uma grande diferença para os outros”, disse Luís Enrique, que no FC Barcelona treinou ambos, mas também chegou a ser companheiro de equipa de Iniesta, igualmente no ‘Barça’.

A cumprir a quarentena devido à pandemia do novo coronavírus, Luís Enrique disse que o maior desafio agora é que “todos permaneçam em casa”, um apelo reiterado num momento em que a Espanha é um dos países mais afetados pela covid-19.

“Fora do futebol o maior desafio de momento é estar em casa, combater o vírus, é um objetivo de todos, e apesar de não ser tão atrativo como outras questões, é muito importante e convém ter essa consciência”, pediu o selecionador.

O aspeto profissional está para já adiado, mas o ex-futebolista e treinador frisou que a meta é voltar a conquistar títulos com a Espanha, campeã europeia em 2008 e 2012 e campeã mundial em 2010

“Tivemos a melhor geração de jogadores da história do futebol espanhol, todos a um nível top, nas melhores idades. A nós compete receber o testemunho, mas vejo uma seleção capaz de ganhar coisas, esse é um dos desafios a que me propus como selecionador”, adiantou Luís Enrique.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.