O número dois da Juventude da Frente Nacional (JFN), o luso-francês Davy Rodríguez, foi suspenso do partido de extrema-direita após ter dirigido vários insultos racistas a um segurança de um bar em Lille, cidade onde decorreu este fim de semana o congresso do partido liderado por Marine Le Pen.

De acordo com a edição francesa do Buzzfeed News, na sexta-feira, dia 9 de março, um membro da mesma juventude partidária que Rodríguez puxou a porta do bar ao mesmo tempo que o segurança, tendo o primeiro acabado por ficar com os dedos entalados entre a porta. Tudo partiu daqui, conta o segurança, que explica que “quando já não havia nenhum problema” chegou Davy Rodríguez que, exaltado, terá dito ao companheiro “não lhe dirijas a palavra, esta gente não tem educação”.

Os relatos de quem estava presente revelam que a troca de palavras foi aumentado de intensidade, havendo relatos de que o luso-francês insultou o segurança, que é negro, de “macaco” e “africano porco”. No entanto, estas palavras não foram registadas em vídeo.

No entanto, um vídeo amador captou imagens onde é possível Davy Rodríguez a insultar o segurança de “cette espéce de négre de merde”, algo que se pode traduzir como “preto de merda”.

Vários colegas tentaram acalmar o jovem político, tendo-se mesmo ouvido “achas que a Marine [Le Pen] ia gostar de te ver assim? Acalma-te, não tens interesse nenhum em perder a cabeça”.

“É uma cabala política”

No dia seguinte ao incidente, o próprio Davy Rodríguez utilizou a sua conta pessoal de Twitter para desmentir o sucedido. “Nego formalmente ter feito as afirmações racistas que me são atribuídas”, escreveu.

“Vi esse vídeo, que é uma montagem pura. É uma cabala política”, defendeu-se o luso-francês ao Buzzfeed News. “Tentaram entrar na minha conta de Facebook e Twitter. São pessoas que são extremamente entendidas em informática. A minha única capacidade é a justiça”, afirmou, justificando que sempre viveu “em bairros sociais com muitas pessoas que fazem parte da imigração africana". "Nunca disse nada desse género, não era agora que ia começar", concluiu.

A edição francesa do HuffingtonPost revela que Rodríguez foi suspenso como mera medida de precaução e que o caso será gerido internamente dentro do partido. No entanto, Sebastien Chenu, deputado do qual o luso-francês é assistente parlamentar, já veio reiterar a confiança nas palavras do número 2 da JFN. “Vão me pedir para comentar as palavras proferidas fora de um bar quando o membro do partido coloca em causa, formalmente, a veracidade do vídeo? Desde que ele me disse que não fez esses comentários, eu também contesto a veracidade do vídeo”, afirmou Chenu no congresso da Frente Nacional.

Filho de mãe portuguesa e pai espanhol, o lusodescendente que hoje é uma das vozes da juventude de Marine Le Pen, chegou a apoiar Jean-Luc Mélenchon, da esquerda radical, nas presidenciais de 2012, depois de ter passado pelo PS e de rapidamente se ter afastado quando François Hollande venceu as primárias de então.

Os temas da imigração e da Europa acabaram por empurrar para a FN o jovem que se apresenta como “soberanista”, que é diplomado em Sciences-Po, titular de um mestrado em direito público e económico, e que criou, em 2013, a associação universitária eurocética ‘Critique de La Raison Européenne’.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.