Num comunicado, Macron dá conta da sua “preocupação perante o aumento da ameaça balística e nuclear proveniente da Coreia do Norte” e defende que “a comunidade internacional deve agir de modo concertado, firme e eficaz” para levar Pyongyang “a retomar a via do diálogo sem condições”.

“Juntamente com os outros membros do Conselho de Segurança”, França pede à Coreia do Norte para “cumprir imediatamente as suas obrigações internacionais e desmantelar, de modo completo, verificável e irreversível, os seus programas nucleares e balísticos”.

Macron também garante “a solidariedade de França aos aliados e parceiros” do país na região.

A tensão tem vindo a subir entre Pyongyang e Washington devido aos contínuos testes nucleares e de mísseis norte-coreanos.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que por diversas vezes admitiu a possibilidade de realizar um ataque preventivo contra o regime de Kim Jong-un, prometeu esta semana responder com “fogo e fúria jamais vistos” às ameaças da Coreia do Norte.

Pyongyang retaliou e anunciou um plano para atacar a ilha de Guam, território norte-americano no Pacífico onde se encontram estacionados caças-bombardeiros que o Pentágono envia regularmente para a península coreana.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.