“Neste momento, temos uma adesão de 70% a 80%”, disse Vítor Martins, do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos.

O pré-aviso de greve, de fevereiro de 2017, está a ser executado desde sábado, 29 de abril, pelos trabalhadores que são responsáveis pela assistência de passageiros com mobilidade reduzida nas estruturas aeroportuárias geridos pela Aeroportos e Navegação Aérea e que é feito por “pessoal especializado”.

“Os atrasos acontecem à chegada e saída dos aviões, principalmente nas partidas”, explicou.

De acordo com Vítor Martins estavam previstas para hoje 180 assistências deste tipo e acrescentou que não estão a ser assegurados serviços mínimos, já que a “empresa não os solicitou, porque pensou que não ia haver greve”.

Esta greve tem um pré-aviso até final do mês de julho e reivindica os escalões na profissão, aumentos, um seguro de saúde, melhores equipamentos e subsídio de risco.

A Lusa contactou a empresa responsável pelo serviço, mas esta recusou qualquer comentário sobre a greve.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.