"Se existir, por razões de mercado da parte de alguns empresários a constatação de que devem continuar, face ao encolhimento do mercado, em ‘lay-off’, podem continuar", disse Albuquerque, em videoconferência de imprensa, no Funchal, após uma reunião do Conselho do Governo Regional.

O chefe do executivo, de coligação PSD/CDS-PP, anunciou hoje a reabertura de diversos espaços e setores, como igrejas, jardins, ginásios e praias, tendo em conta a evolução da pandemia de covid-19 no arquipélago, com apenas 90 casos de infeção registados e já com 51 doentes curados.

Ao nível da restauração, Miguel Albuquerque explicou que decorrem já contactos com os empresários, no sentido de assegurar a prestação de serviços em condições de segurança para funcionários e clientes, garantindo, acima de tudo, o distanciamento social.

"Esta reabertura não é uma imposição do governo", declarou, reforçando: "É a possibilidade de os empresários, em função do que consideram ser os seus interesses face à situação, determinarem aquilo que devem fazer no seu negócio."

O chefe do executivo sublinhou, no entanto, que podem continuar em ‘lay-off’, se não tiverem condições para reabrir os estabelecimentos, ou recorrer ao ‘lay-off' parcial.

Miguel Albuquerque remeteu para a próxima quinta-feira, 14 de maio, o anúncio das medidas concretas que vão orientar a reabertura dos restaurantes, cafés, pastelarias e esplanadas na Região Autónoma da Madeira, sublinhando que os espaços de animação noturna vão permanecer encerrados.

"Esta é uma questão que exige muito cuidado. Será das atividades mais difíceis de controlar, de monitorizar. Uma discoteca, uma sala de dança implica contacto físico. São situações que vão exigir mais algum tempo para podermos fazer a avaliação e tomarmos decisões", disse.

Dos 39 casos de infeção ativos na região, apenas um doente se encontra hospitalizado, ao passo que os restantes, com sintomas ligeiros, estão em isolamento no domicílio ou em unidades hoteleiras requisitadas pelo Governo Regional.

Em Portugal, morreram 1.114 pessoas das 27.268 confirmadas como infetadas, e há 2.422 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 269 mil mortos e infetou mais de 3,8 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.