“Dou graças à MUD [a coligação de oposição Mesa da Unidade Democrática] pelo espírito de colaboração na criação de uma mesa de diálogo”, disse Maduro no seu programa semanal de televisão, transmitido pelo canal estatal VTV.

O líder chavista agradeceu também ao Chile, México, Bolívia, Nicarágua, São Vicente e Granadinas, e ao Governo de Danilo Medina na República Dominicana por supervisionar as conversações, que vão continuar até 15 de dezembro.

“Obrigada pela vossa colaboração e agora é para continuar”, disse Maduro, acrescentando que se sente “muito contente” com o processo, que ainda não alcançou acordos.

O chefe de Estado convidou os representantes das quatro formações mais poderosas da MUD para uma “reunião especial esta semana” no palácio presidencial de Miraflores, para abordar os pontos tratados na mesa de diálogo.

Maduro convidou diretamente o chefe do Parlamento, Julio Borges, como representante do partido Primeiro Justiça; o deputado Enrique Márquez, do partido Novo Tempo; o legislador Luís Florido, da Vontade Popular, e o dirigente Timoteo Zambrano, da Ação Democrática, o partido mais antigo do país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.