Este é o segundo português assassinado esta semana na Venezuela, depois de na manhã de sábado um comerciante, de 58 anos, ter sido assassinado quando se preparava para abrir a sua frutaria, na ilha de Margarita.

O homicídio de hoje ocorreu pelas 05:00 horas locais (09:30 horas em Lisboa), quando Lino Alves, de 65 anos, se dirigia para a padaria Rosalva, de que era um dos proprietários, segundo as mesmas fontes.

A vítima foi intercetada pouco antes de abrir o estabelecimento por homens armados e terá oferecido resistência quando estes pretendiam roubar a sua viatura.

O comerciante português foi levado para uma clínica, na qual já deu entrada sem sinais vitais e com uma bala no tórax.

O assassinato deste comerciante está a originar diversas reações.

O político opositor venezuelano Juan Carlos Vidal, do partido Primeiro Justiça, disse, na rede social Twitter, que “exige justiça”.

Residentes em Horizonte reclamam vigilância policial.

Segundo fontes policiais, o caso está a ser investigado pelo Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (antiga Polícia Técnica Judiciária).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.