A cápsula autónoma e reutilizável New Shepard da empresa Blue Origin onde seguirão Mário Ferreira, de 54 anos, e mais cinco tripulantes descolará do deserto do Texas, nos Estados Unidos, tendo a "janela" de lançamento início previsto para as 14:30 (hora em Lisboa) do dia 4 de agosto.

Trata-se do sexto voo suborbital com tripulantes da Blue Origin, empresa aeroespacial dirigida pelo magnata norte-americano Jeff Bezos, que em 20 de julho de 2021 se estreou nas viagens espaciais juntamente com o mais jovem turista, Oliver Daemen, um estudante holandês de 18 anos, filho de um milionário que lhe ofereceu o lugar que tinha comprado por 28 milhões de dólares (27,3 milhões de euros) num leilão com fins beneméritos.

Ao lado de Mário Ferreira, presidente do grupo Pluris Investments, através do qual detém uma posição no capital da TVI e a empresa de cruzeiros Douro Azul, vão estar a engenheira egípcia Sara Sabry, a alpinista anglo-americana Vanessa O'Brien, o cofundador do canal desportivo do YouTube "Dude Perfect" Coby Cotton, o ex-executivo do setor das telecomunicações Steve Young e o especialista em tecnologia Clint Kelly III.

Os seis tripulantes vão transpor a barreira que separa o limite da atmosfera terrestre e o espaço e sentir a microgravidade, numa curta viagem de pouco mais de 10 minutos entre a descolagem (impulsionada por um propulsor) e a aterragem (suavizada por um paraquedas). Nenhum dos tripulantes terá de pilotar a nave, uma vez que é totalmente autónoma.

Mário Ferreira, que em julho foi constituído arguido na "Operação Ferry", que investiga eventuais crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento no negócio da compra e venda do navio Atlântida, já tinha manifestado o seu desejo de ir ao espaço e chegou mesmo a comprar bilhete para voar com uma outra empresa, a Virgin Galactic.

Autorização para levar garrafa

Mário Ferreira já está em treinos nos Estados Unidos e numa publicação na sua rede social Facebook revelou alguns pormenores do mesmo e a curiosidade de ir levar uma garrafa de vinho do Porto, para a qual teve de pedir uma autorização especial.

"Hoje foi um dia teoria sobre segurança, de ajustes do fato e roupa a levar no dia da missão Shepard 22. Visitámos o centro de treinos, iniciámos o ajuste das cadeiras que cada um terá e já encontrámos o nosso locker room. Foi o dia de verificação de peso e verificação de saúde em geral. Foi fechada a caixa de material que podemos levar até ao espaço dentro da nossa cápsula, muitos objetos, pequenos, pessoais e de familiares, assim como 4 bandeiras. A grande surpresa foi conseguir autorização para levar ao espaço uma garrafa de vinho do Porto Vintage de 50 cl, com rolha de cortiça, vamos ver como se vai comportar o vinho sujeito a grandes forças G e ausência de gravidade", escreveu.

Desconhece-se ao certo quanto pagou pelo bilhete, mas, segundo a imprensa, o voo pode custar entre 200 mil e 300 mil dólares (195 mil a 293 mil euros).

O logótipo do sexto voo tripulado da Blue Origin ostenta os apelidos dos seus seis tripulantes, aos quais foram atribuídos determinados símbolos. Mário Ferreira é representado por uma caravela, numa alusão à herança portuguesa de exploração dos mares nos Descobrimentos.

Tal como o empresário português, a engenheira egípcia Sara Sabry, simbolizada por pirâmides, inscreverá pela primeira vez o seu país na história do turismo espacial.

Antes de seguir nesta viagem, a anglo-americana Vanessa O'Brien já detinha a proeza de ser a primeira mulher a alcançar a montanha mais alta, o Monte Everest, e o ponto mais profundo da superfície terrestre, na Fossa das Marianas, de acordo com a Blue Origin.

(Notícia corrigida às 19h03: a viagem acontece a 4 de agosto e não a 4 de julho)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.