Outros dois suspeitos, um marroquino e um tunisino com cerca de 20 anos, comparecerão ante os tribunais, também acusados de roubo. Mas nenhum destes casos diz respeito aos delitos sexuais cometidos na noite de Ano Novo, no qual centenas de mulheres foram agredidas por homens bêbados que, segundo as autoridades, seriam oriundos de países do norte da África.

O acusado de 23 anos, que admitiu os factos e pediu desculpas, terá de pagar uma multa de cem euros. Foi condenado pelo roubo do telemóvel de uma mulher que tirava uma foto à catedral da cidade. A mulher seguiu o ladrão, o que tornou possível a sua prisão.

Na noite de ano novo 2015-2016, Colónia foi palco de uma onda de agressões sexuais contra mulheres atribuídas a imigrantes. Mais de mil queixas foram apresentadas. Apesar de as notícias iniciais darem conta de que haveria vários refugiados entre os agressores identificados, o procurador de Colónia veio mais tarde esclarecer que isso não correspondia à verdade: dos 58 agressores identificados, apenas três eram refugiados. Há ainda três alemães, e os restantes são estrangeiros que vivem na Alemanha há vários anos. O caso gerou muita contestação interna às políticas de asilo do governo de Angela Merkel.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.