Nos próximos dias, o policiamento vai também ser reforçado para impedir o acesso às marginais, numa altura em que Portugal regista máximos de casos de infeção de mortes associadas à covid-19, disse a mesma fonte.

Esta autarquia do distrito do Porto resolveu ainda interditar todos os equipamentos em espaço público que permitam concentrações de pessoas como, por exemplo, bancos de jardim, acrescentou.

“Estamos a seguir as orientações do Governo. É urgente diminuir as deslocações e os contactos e as marginais são locais muito apetecíveis”, afirmou à Lusa a presidente, Luísa Salgueiro.

A autarca socialista aproveitou ainda para apelar à responsabilidade das pessoas nesta “fase tão difícil” que o país está a atravessar.

“Todos os que possam, fiquem em casa. Só conseguiremos travar estes números assustadores se nos comportamos de forma responsável e consciente”, vincou.

Este anúncio surge na segunda semana consecutiva em que Portugal regista máximos de casos de infeção pelo novo coronavírus e de mortes associadas à covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.041.289 mortos resultantes de mais de 95,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.246 pessoas dos 566.958 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Também de acordo com a Direção-Geral de Saúde (DGS), Portugal contabilizou hoje 218 mortes, um novo máximo de óbitos em 24 horas, e 10.455 novos casos de infeção pelo novo coronavírus.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.