Contactado pela agência Lusa, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal explicou que, até às 17:00, das 122 ocorrências registadas, “106” tinham sido “pequenas inundações”, que ocorreram “na via pública, em caves e em habitações térreas”.

“Essas situações aconteceram porque as estradas ou ruas não tinham capacidade de escoamento” e a água da chuva que caiu durante a tarde “entrou em algumas casas”, mas as inundações “já estão praticamente todas resolvidas”, disse a fonte do CDOS.

A juntar às inundações, no distrito de Setúbal, até às 17:00, o mau tempo provocou “seis quedas de árvores, um movimento de terras [deslizamento de terra para uma estrada ou via pública], três quedas de estruturas, como painéis, antenas ou placards” publicitários e “seis limpezas de via”.

Os concelhos “mais afetados”, segundo a mesma fonte, foram os do Seixal (34 ocorrências), Moita (18), Almada (17), Palmela (15), Setúbal (14) e Barreiro (12), tendo as outras situações sido verificadas nos restantes municípios do distrito.

“Mas são todas pequenas situações. As inundações não provocaram danos consideráveis em habitações ou nas vias e as árvores que caíram também não fizeram vítimas, nem causaram danos em automóveis”, frisou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.