Em entrevista telefónica, Rodrigues Campos afirmou que até ao momento não há conhecimento de nenhuma situação “merecedora de maior cuidado” e alertou para se evitarem aproximações das zonas da orla costeira.

O comandante da Zona Marítima do Norte explicou que a atual situação marítima está “mais ou menos de acordo com as previsões que foram divulgadas esta semana” e que se está a aproximar a fase “mais crítica”, que poderá trazer mais problemas.

“Neste momento (…) registamos na boia ondógrafa de Leixões alturas significativas na ordem dos seis metros e já com registos de altura máximas a rondar os oito metros. São, portanto, alturas já significativas”.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) decretou alerta vermelho para o distrito do Porto por causa das previsões de aumento significativo da agitação marítima entre as 15:00 e as 23:59 de hoje, com ondas que podem atingir os 12 a 14 metros de altura máxima.

“Continuamos a fazer um esforço no sentido de sensibilizar a população em geral e todos aqueles que estão mais ligados ao mar, quer por razões profissionais, quer por razões de lazer, para que se rodeiam de todo o cuidado”, designadamente amarrando as embarcações de forma segura ou afastando-as das zonas de risco.

Segundo Rodrigues Campos, as ondas gigantes que se esperam proporcionam “imagens espetaculares” e de” vídeos muito interessantes para colocar nas redes sociais”, mas, avisa, colocam os seus autores em “risco desnecessário”.

Neste momento, na zona Norte estão vários meios “prontos e em ação”, designadamente embarcações do Instituto de Socorros a Náufragos, e meios da Polícia Marítima na agua e por terra.

“Temos na zona Norte seguramente várias centenas de pessoas ligadas a esta fase de prevenção, com vários meios entre embarcações e viaturas. A Marinha disponibilizou um reforço do meio naval com uma corveta que está atracada em Leixões, para qualquer ação mais robusta que seja necessária no mar”, disse.

Fonte da Câmara do Porto adiantou à Lusa que a avenida D. Carlos e rua Coronel Raúl Peres foram cortadas ao trânsito devido à forte ondulação prevista e que o corte das duas estradas vai manter-se até ao final do dia de sexta-feira, estando os serviços da Proteção Civil acionados em “toda a zona costeira”, com patrulhamentos, por exemplo, junto ao Farol.

A Câmara de Matosinhos, por seu turno, decidiu hoje de manhã mandar cortar a circulação pedonal nos passadiços desde a zona da Boa Nova até Angeiras, incluindo a Ponte Pedonal da Conchinha, avançou fonte do gabinete de imprensa da autarquia.

Em Vila Nova de Gaia fonte das relações públicas informou que há equipas de bombeiros nos locais mais críticos, designadamente em Granja, Valadares e Lavradores desde as 11:00 de hoje, mas acrescenta que não foi registada nenhuma situação grave.

O aviso vermelho é o mais grave de uma escala de três e corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo.

Para sexta-feira e sábado até às 02:59 o IPMA colocou o distrito do Porto em alerta laranja por causa da agitação marítima.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.