Quatro pessoas foram arrastadas pela ondulação forte quando estavam no areal da praia da Costa Nova, na Gafanha da Nazaré, no distrito de Aveiro.

A autoridade marítima revela que três pessoas conseguiram sair do mar pelo próprio pé , mas que uma continua desaparecida, uma mulher com cerca de 40 anos.

No total eram dez pessoas que se encontravam no areal, por razões desconhecidas, quando foram apanhadas por uma onda, mas apenas quatro delas foram arrastadas para o mar.

O grupo de pessoas naturais de Tondela (Viseu) e Águeda (Aveiro) estaria naquele local, ao que tudo indica, a fazer um ritual religioso, revelou a fonte.

"Tivemos relatos iniciais nesse sentido, mas não podemos estar a levantar falsas suspeitas enquanto não tivermos os factos todos apurados", disse o comandante Carlos Isabel, adiantando que a Polícia Marítima tomou conta da ocorrência.

Marco Martins, adjunto de operações da Proteção Civil, revelou que o alerta foi dado às 19 horas e 45 minutos e que as três vítimas socorridas foram transportadas para o Hospital de Aveiro com sintomas de hipotermia, mas sem inspirar grandes cuidados.

Buscas prolongam-se pela madrugada

"Os estudos dizem que é possível sobreviver cerca de 40 horas no mar e queremos acreditar em tudo, mas perante as condições atmosféricas, cada vez as probabilidades são mais reduzidas", disse à Lusa o comandante da Capitania do Porto de Aveiro, Carlos Isabel.

Segundo o mesmo responsável, cerca de 30 elementos da Polícia Marítima e dos Bombeiros de Ílhavo têm estado, desde as 19:45 de quinta-feira, envolvidos nas buscas em terra, mas até às 01:00 foram infrutíferas.

"As buscas vão continuar em terra, mas com menos elementos, porque vamos ter de começar a dar descanso aos homens", disse Carlos Isabel.

As operações de busca contaram também com a participação de um helicóptero da Força Aérea que, durante cerca de uma hora, sobrevoou o local onde a mulher desapareceu.

"Neste momento, já não temos o helicóptero a dar colaboração, porque acabou a sua autonomia, mas esperamos por volta das 07:15 voltar a ter um meio aéreo a dar apoio", disse o comandante da Capitania do Porto de Aveiro.

Os meios de busca e socorro deverão ainda ser reforçados durante a manhã de sexta-feira com uma lancha salva-vidas.

"Com o mar não se brinca"

Em declarações à TSF, Fernando Caçoilo, Presidente da Câmara de Ílhavo, explica que o grupo de quatro pessoas estava em cima dos esporões, "numa zona isolada e deserta, sem ligação a nada".

O autarca diz ainda não compreender este tipo de comportamentos, apelando às pessoas que não se aproximem da zona litoral. "Com o mar não se brinca", sublinhou.

O distrito de Aveiro é um dos sete que está esta quinta-feira, 2 de Fevereiro, sobre aviso vermelho devido a agitação marítima, chuva e ventos fortes na orla costeira, devido à passagem da tempestade "açoriana" pelo continente.

De acordo com a Marinha portuguesa, as condições adversas no mar são comparáveis à tempestade “Hércules”, que em 2014 provocou ondas de grande dimensão que atingiram primeiro os Açores e, posteriormente, Portugal continental.

Mais de 1.500 civis e militares da Marinha Portuguesa e da Autoridade Marítima Nacional estão envolvidos na monitorização, prevenção e salvamento durante o período em que a tempestade vai atingir a costa portuguesa.

[Notícia atualizada às 01h48]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.