"O capitão do Porto e comandante-local da Polícia Marítima do Funchal, em articulação com o Subcentro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo do Funchal e o Serviço Regional de Proteção Civil, coordenou as buscas de um indivíduo do sexo masculino de nacionalidade britânica que foi arrastado pelo mar junto à 'promenade' na orla costeira da praia Formosa", refere, em comunicado, a Capitania.

As buscas, por terra, mar e ar, com recurso a um helicóptero das Forças Armadas Portuguesas, foram, contudo, infrutíferas, sendo retomadas na sexta-feira de manhã.

O Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara Municipal do Funchal (CMF) informou que as duas corporações de Bombeiros do Funchal responderam, até às 18:00 horas, a 40 ocorrências, relacionadas com o estado do tempo.

As ocorrências verificadas foram, essencialmente, queda de árvores, queda de estruturas e pequenas inundações.

A CMF adianta que se mantêm "todos os condicionamentos e encerramentos na zona costeira entre os Socorridos e a Ponta Gorda" e que foi, igualmente, "solicitado à PSP o controlo do acesso à zona encerrada na Praia Formosa".

A autarquia informa que se encontram encerradas e condicionadas oito estradas e que se encontram com danos os complexos balneares Barreirinha, Lido, Gavinas, Ponta Gorda, Praia Formosa e passeio público marítimo.

A CMF recomenda que a população continue a evitar as zonas montanhosas e, em especial, a orla costeira.

O Governo Regional, através da Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM), está a proceder a várias reparações no sentido de repor o normal fornecimento de energia elétrica às populações.

Na sequência do temporal dos últimos dias, foram afetados cerca de 300 clientes.

Esta tarde, o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil (SRPC), José Dias, revelou que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), as condições atmosféricas adversas, "nomeadamente de precipitação e de vento, já estão ultrapassadas, mantendo-se ainda algum cuidado em termos de avisos de agitação marítima".

José Dias revelou, ainda, que foram registadas 171 ocorrências (queda de árvores, derrocadas, estruturas de habitação) e danos em infraestruturas portuárias nos concelhos do Funchal, Calheta e Ponta do Sol.

Indicou ainda a possível perda de uma vida humana tragada pelo mar e o realojamento de 12 pessoas, sete no Funchal e cinco em Câmara de Lobos.

José Dias revelou, ainda, que no Pico do Areeiro foi registada uma rajada de 166 quilómetros hora, "a mais forte desde 2002", seguida de uma outra no aeroporto da Madeira, de 164 quilómetros hora.

No que diz respeito à precipitação, o presidente do SRPC disse que os níveis ficaram aquém dos verificados a 20 de fevereiro de 2010, quando um temporal provocou 43 mortos e seis desaparecidos, além de 250 feridos e 600 desalojados.

O Gabinete do Representante da República para a Região Autónoma da Madeira, em comunicado, informa que o juiz-conselheiro se deslocou hoje aos concelhos mais fustigados pelo temporal, nomeadamente Funchal, Câmara de Lobos, Ponta do Sol e Calheta, com o objetivo de se inteirar dos prejuízos e para manifestar aos autarcas, à autoridade marítima e à população afetada "toda a sua solidariedade".

O movimento no Aeroporto Internacional da Madeira Cristiano Ronaldo decorreu normalmente e a ligação fluvial entre a Madeira e o Porto Santo deverá realizar-se, segundo a concessionária, a Porto Santo Line.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera, depois de retirar o aviso vermelho para mau tempo na Madeira, mantém, no entanto, o aviso laranja (vento nas zonas montanhosas) e amarelo (vento, precipitação e agitação marítima) nas zonas costeiras.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.