A presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Oeste, Elsa Banza, disse que o doente, quando ia para uma consulta na urgência, viu o médico cirurgião, de 60 anos, na sala de pequenas cirurgias e desferiu-lhe “três facadas na zona das nádegas”.

O crime “não foi no âmbito de uma consulta àquele doente”, esclareceu.

O médico foi transportado “com ferimentos superficiais” para a urgência de Caldas da Rainha, onde se encontra internado, mas está “estável e não está em risco de vida”.

O Centro Hospitalar do Oeste comunicou o crime à PSP, que deteve o suspeito ainda nas instalações hospitalares.

Segundo a administradora, trata-se de um doente com “patologia psiquiátrica” que recorre com frequência ao hospital de Peniche, onde conhece os profissionais de saúde e as instalações.

Elsa Balza afastou qualquer hipótese de falta de segurança naquela unidade hospitalar.

Já o bastonário da Ordem dos Médicos condenou a agressão, dizendo que "este caso é um espelho da grave situação de insegurança que se vive no Serviço Nacional de Saúde", numa nota enviada às redações.

Miguel Guimarães acrescentou que “o aumento de casos de agressão contra profissionais de saúde é o espelho do desinvestimento do Governo no Serviço Nacional de Saúde e da insistência numa política que cria ambientes de tensão que prejudicam profissionais e utentes”.

“Os médicos estão a ser obrigados a cumprir horários desumanos e a dar resposta a um número de doentes que está muito para lá do aceitável e que os coloca em situações de sofrimento ético, com prejuízo para a qualidade e a segurança clínica”, insistiu.

O bastonário recordou, na nota, que os dados mais recentes da Direção-Geral da Saúde, referentes a 2018, revelam que no ano passado foram notificados mais de 950 casos de incidentes de
violência contra profissionais de saúde,

Questionada pela Lusa, a PSP remeteu esclarecimentos para terça-feira.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e de Peniche, e detém uma área de influência constituída pelas populações daqueles três concelhos, Óbidos, Bombarral, Cadaval e Lourinhã, e de parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estêvão das Galés e Venda do Pinheiro).

[Notícia atualizada às 21h36 - Inclui reação do bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.