O míssil foi intercetado a 69 quilómetros da cidade sagrada na Arábia Saudita, indicou a coligação num comunicado, em que falou de uma “tentativa desesperada dos rebeldes xiitas ‘houthis’ de perturbar o hajj” em Meca, que este ano começa no final de agosto.

Esta não é a primeira vez que um míssil é lançado a partir do Iémen em direção a Meca. A coligação tinha indicado que a 28 de outubro de 2016 intercetou um engenho semelhante que se dirigia à cidade sagrada.

No entanto, o novo lançamento representa uma ameaça ao hajj deste ano, que deve juntar cerca de dois milhões de fiéis vindos de vários países.

A guerra no Iémen opõe os rebeldes xiitas ‘houthis’, aliados do antigo Presidente Ali Abdallah Saleh, às forças leais ao Presidente Abd Rabbo Mansour Hadi, reconhecido pela comunidade internacional.

O conflito intensificou-se desde a intervenção de março de 2015 da coligação liderada pela Arábia Saudita, potência regional sunita, que acusa dos rebeldes iemenitas de serem apoiados pelo Irão, o seu grande rival xiita.

Esta coligação apoia o Presidente Hadi.

Desde março de 2015, os combates fizeram mais de 8.000 mortos, maioritariamente civis, e mais de 44.500 feridos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.