“Perdi um amigo. O desporto em Portugal fica mais pobre. O Henrique Vieira decidiu partir. Foram horas, dias, semanas, meses, anos, milhares de quilómetros percorridos em conjunto. Não foi fácil convencer o Henrique a mudar de Lisboa para Oliveira de Azeméis. Numa primeira fase veio sozinho e só mais tarde veio a família que se adaptou facilmente à cidade onde ainda hoje tem amigos. Guardo memórias fantásticas do Henrique Vieira enquanto treinador da Oliveirense”, escreveu o antigo secretário de Estado.

Henrique Vieira destacou-se como treinador no emblema de Oliveira de Azeméis, depois de ter orientado Atlético e Estoril Praia, levando a Oliveirense às finais do campeonato nacional em 1996/97, frente ao FC Porto, e em 2001/02, 2002/03 e 2003/04, nas três vezes frente à Portugal Telecom.

Rumou à Ovarense, mas foi no Benfica que chegou ao título de campeão nacional, em duas ocasiões, em 2008/09 e 2009/10, amealhando ainda as Supertaças, de 2009/10 e 2010/11.

Antes, Henrique Vieira, que nasceu em Moçambique, onde jogou na Real Sociedade e Sporting de Lourenço Marques, alinhou em clubes portugueses como Académica, Ginásio Figueirense, Atlético e Benfica.

Mais uma vez, foi ao serviço dos ‘encarnados’ que, o 28 vezes internacional pela seleção portuguesa, conquistou sete títulos de campeão, uma Taça de Portugal, duas Supertaças e duas Taças da Liga.

A Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB) declarou-se de luto, pela morte de Henrique Vieira, homenageando-o com um minuto de silêncio no jogo de hoje da seleção portuguesa frente a Montenegro, de qualificação para o Mundial2023, em Odivelas, a partir das 19:00.

“À família de Henrique Vieira e seus amigos mais próximos, a FPB envia as mais sentidas condolências”, lê-se no sítio federativo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.