Nascido a 29 de novembro de 1933 no Dakota do Norte, James Rosenquist mudou-se na década de 1950 para Nova Iorque, onde começou por pintar painéis publicitários em espaços públicos, um trabalho que acabaria por ser umas das influências da estética da Pop Art.

Contemporâneo de Andy Warhol, Roy Lichtenstein e Claes Oldenburg, James Rosenquist deixa trabalhos em pintura, desenho, colagem, serigrafia e vídeo que estão representados em várias coleções e museus internacionais, como o Guggenheim Museum Bilbao, Museum of Modern Art, Whitney Museum of American Art e a Coleção Berardo.

Entre as obras mais conhecidas estão “President Elect”, criada no começo doa anos 1960 e na qual surge representado John F. Kennedy, e “F-111″, painel em grande escala com um bombardeiro da guerra do Vietname.

Rejeitando comparações com Andy Warhol, James Rosenquist disse, numa entrevista em 2007 à revista Smithsonian, que não se interessava em desenhar objetos identificáveis da sociedade de massas, mas aquilo que é familiar e não nostálgico para os espetadores consumidores.

Em 2009, um incêndio destruiu várias obras de Rosenquist no estúdio em Aripeka, na Florida, no mesmo ano em que editou a autobiografia “Painting Below Zero: Notes on a Life in Art”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.