Michael Lang morreu numa clínica para tratamento de cancro de Nova Iorque devido a um linfoma raro, de acordo com relatos da imprensa.

Juntamente com Artie Kornfeld, Joel Rosenman e John P. Roberts, Michael Lang foi o mentor de Woodstock, o festival que no final dos anos 60 reuniu mais de 400.000 pessoas numa quinta em Bethel, Nova Iorque, para ouvir artistas como Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Who, Jefferson Airplane ou Santana.

O festival, apresentado como "Três dias de paz e música", é considerado um dos mais importantes eventos musicais da história moderna.

Numa entrevista à revista Rolling Stone, em 2009, Michael Lang disse que Woodstock foi um "momento de esperança" num tempo muito negro para os Estados Unidos, marcado pela Guerra do Vietname, a falta de respostas governamentais e muitos problemas de direitos humanos.

O empresário musical esteve envolvido na organização da segunda edição de Woodstock, em 1994, que reuniu artistas do festival original, como Joe Cocker e os Grateful Dead, com artistas mais recentes como os Red Hot Chili Peppers, Green Day, Aerosmith e Metallica.

O sucesso levou Michael Lang e outros parceiros a criar um novo Woodstock, em 1999, que foi considerado um enorme fracasso, e as suas tentativas para organizar uma edição do quinquagésimo aniversário do primeiro festival, em 2019, nunca se concretizaram.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.