Aplicações com o MB Way foram criadas para facilitar a vida dos consumidores através de uma sistema de pagamentos integrado através da rede Multibanco para fazer transferências instantaneamente e criar cartões via telemóvel

No entanto, nem toda a gente demonstra o mesmo à vontade com este o novo mundo da tecnologia móvel e, por isso mesmo, há quem se aproveite da vulnerabilidade e da iliteracia digital de alguns para cometer atos de burla e outros crimes financeiros.

É por isso que a SIBS, entidade gestora da Rede Multibanco, faz uma série de recomendações para que não se deixe enganar se lhe solicitarem qualquer tipo de pagamento através do MB Way:

  • Nunca deve adicionar, ou permitir que adicionem à sua conta ou cartão bancário, um número de telemóvel que não possui ou desconhece, quer seja através do Multibanco, quer seja através do homebanking.
  • Nunca deve seguir orientações de terceiros ou desconhecidos para fazer uma transação financeira, seja qual for, nomeadamente uma adesão ao serviço MB Way. Da mesma forma, nunca deve fornecer dados ou códigos da sua conta a um desconhecido.
  • Os bancos não solicitam, telefonicamente ou por mail, que adicione à sua conta bancária um número de telemóvel que não é seu ou não conhece. Caso seja contactado neste sentido e desconfie da legitimidade do contacto, deverá de imediato entrar em contacto com o seu banco.
  • Da mesma forma, nenhuma entidade legítima, como operadoras de comunicação ou de outros serviços, lhe poderá solicitar, telefonicamente ou por mail, que adicione à sua conta bancária um número de telemóvel que não é seu ou não conhece. Caso seja contactado neste sentido e desconfie da legitimidade do contacto, deverá de imediato entrar em contacto com o seu banco.
  • Nunca forneça dados confidenciais ou pessoais como resposta a mensagens de correio eletrónico ou via sms, mesmo que a origem da solicitação aparente ser legítima.
  • Não siga ligações que recebeu em mensagens de correio eletrónico ou via sms.
  • Verifique os extratos das suas contas bancárias regularmente.
  • A SIBS recomenda que contacte o seu banco para adicionar o(s) seu(s) número(s) de telemóvel para que possam ter a sua ficha de cliente totalmente preenchida.

Esta série de recomendações é feita porque houve um pico de reclamações no Portal da Queixa relativas a casos de burla. Segundo o Portal, se durante todo o ano de 2019 foram feitas 102 queixas relativas a burlas através do MB Way, só em janeiro deste ano já foram apresentadas 86 reclamações. Isto, segundo a plataforma, representa um aumento de 169% face ao período homólogo.

A maioria dos casos, refere o Portal da Queixa, ocorre em situações onde um vendedor de um bem ou produto “chega a acordo com um comprador através de plataformas de venda de particular a particular, como o Olx e Custo Justo”.

As burlas aconteceram em contextos de compra e venda e num cenário em que o vendedor desconhece a forma de funcionamento do MB Way e o comprador se aproveita desse facto. Para tal, o burlão pede à vítima para se dirigir a uma caixa Multibanco e introduzir o seu cartão de débito. Depois dá o seu número de telefone e um código de acesso para a vítima introduzir. Quem vende executa esses passos convencido que está a finalizar o processo de venda de forma a receber a verba acordada, mas na realidade está a dar acesso ao comprador à sua conta bancária.

“Embora não seja um tema recente, verificámos um aumento exponencial de reclamações por burla através do sistema MB Way, nos últimos seis meses, pelo qual sentimos o dever de alertar os consumidores. Por sermos uma plataforma que tem como principal objetivo a partilha de experiências de consumo, é essencial que os nossos utilizadores estejam atentos e sejam conhecedores dos vários esquemas de fraude e burla, com vista a potenciar o aumento da literacia digital junto da sociedade portuguesa”, refere Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa.

Já anteriormente, como refere o Portal da Queixa, a Polícia de Segurança Pública (PSP) tinha feito um alerta quanto ao crescente número de casos. Numa publicação feita no passado dia 5 de fevereiro na sua página oficial do Facebook, a PSP deu conta que tem vindo a aumentar as ocorrências relacionadas com burlas através do MB WAY.

O porta-voz da PSP, intendente Nuno Carocha, disse à agência Lusa que a Polícia tem notado um aumento de queixas relacionadas com burlas através desta plataforma, tendo a PSP feito essa publicação de forma preventiva.

Na publicação, a PSP recomenda aos cidadãos para que recusem o pagamento por esta via “caso não compreendam o funcionamento da aplicação MB Way” e para que “nunca sigam instruções de desconhecidos para fazer pagamentos” por esta via.

“Em caso de dúvida, solicite informação ao seu banco sobre o funcionamento do MB Way antes de o utilizar. Tente sempre fazer os negócios de forma presencial se estiver na mesma área geográfica do comprador. Tente receber os pagamentos presencialmente ou através de transferência bancária”, são os conselhos da PSP.

O Portal da Queixa aponta ainda o dedo aos órgãos do estado de supervisão, como o Banco de Portugal, ou de apoio ao consumidor, como a Direção Geral do Consumidor, denunciando que nenhum “veio a público alertar os consumidores para este fenómeno”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.