Desde a atracação, foi a bordo uma equipa de peritos da Polícia Marítima, no âmbito do acidente marítimo. São perícias que têm que ser feitas, apesar de a tripulação já ter sido ouvida”, disse à Lusa o porta-voz da Autoridade Marítima Nacional (AMN), comandante Fernando Pereira da Fonseca.

Segundo explicou o porta-voz da AMN, tudo o que se irá seguir será responsabilidade do armador.

“A AMN vai fazer inspeções na área da segurança, depois de o navio estar sem carga, o que deverá acontecer em breve. Existem outras inspeções que vão ser efetuadas, mas já fora do âmbito da AMN”, explicou.

Segundo o mesmo responsável, o navio “tem o leme trancado” e, caso seja a intenção do armador deslocar o navio do local, a AMN terá que fazer uma inspeção de segurança para garantir que tem condições para ser rebocado

O "Betanzos" encalhou na madrugada de dia 06 de março, cerca das 01:00, à saída da barra de Lisboa, após uma falha total de energia e da tentativa de fundear.

O navio, que estava encalhado perto do farol do Bugio, no forte de São Lourenço do Bugio, concelho de Oeiras, na foz do Rio Tejo, transportava para Marrocos oito mil toneladas de areia com sílica, usada na indústria de porcelana e de cerâmica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.