O navio francês entrou em águas territoriais chinesas no dia 7 de abril sem autorização, disse à imprensa o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Ren Guoqiang.

“O exército chinês enviou navios de guerra de acordo com a lei para identificar o navio francês e ordená-lo a sair”, afirmou Ren Guoqiang, que não especificou o nome da embarcação.

Mas a fragata francesa Vendémiaire, cuja presença estava prevista para esta semana em Qingdao, na costa leste da China, para participar de um desfile naval pelo 70º aniversário da Marinha chinesa, não marcou presença no evento.

Segundo a agência France Presse, Paris não deu nenhuma explicação para essa mudança de programa.

Taiwan, a ilha onde se refugiou o antigo Governo chinês depois de o Partido Comunista tomar o poder no continente, em 1949, assume-se como República da China, e funciona como uma entidade política soberana.

No entanto, Pequim considera Taiwan uma província chinesa, e defende a “reunificação pacífica”, mas ameaça “usar a força” caso a ilha declare independência.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.