Os estúdios de cinema e televisão neste estado norte-americano fecharam em meados de março, quando as ordens de confinamento entraram em vigor.

O governador Gavin Newsom disse esta quarta-feira (20) que a maioria dos 58 condados da Califórnia "terá a capacidade" de começar a retoma das filmagens seguindo os critérios que serão apresentados na próxima segunda-feira.

Mas o condado de Los Angeles — casa dos estúdios de Hollywood, com o maior número de produções e cerca de 900 mil empregos no setor antes do encerramento — representa "o desafio".

"Ainda hoje, das mortes relatadas, um número desproporcional veio deste condado... Estamos um pouco preocupados, eles estão algumas semanas atrás de todos os outros", disse o governador, citado pela agência France-Presse.

A sua chefe de gabinete, Ann O'Leary, descreveu Los Angeles como "o maior obstáculo que temos em relação à indústria".

"Eu não quero amenizar isso ... temos cada vez mais casos na área de Los Angeles e é por isso que vai haver alguns atrasos", disse O'Leary numa videoconferência com os líderes da indústria do entretenimento.

O condado de Los Angeles confirmou 40 mil casos positivos da covid-19 com quase 2.000 mortes, mais da metade dos registados em toda a Califórnia.

As autoridades locais divulgaram esta semana que restaurantes e centros comerciais não vão voltar a  abrir as portas até pelo menos 4 de julho, mesmo quando outras partes do estado começarem a relaxar as restrições.

O chefe de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, que participou na videoconferência, concordou que "tomar atalhos de segurança" teria "terríveis efeitos a longo prazo" sobre o setor.

A gigante do streaming já retomou as produções em países como Islândia, Suécia e Coreia do Sul.

Sarandos disse que as produções com equipas mais pequenas, como os documentários, poderiam retomar mais cedo, enquanto os filmes envolvendo multidões exigirão "muita segurança, muita logística".

A diretora e produtora Ava DuVernay (de Selma, por exemplo) disse que as equipas no set podem ser divididas em grupos menores que operam em momentos diferentes para reduzir os riscos de contágio.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.