"Queremos informar que no dia de ontem [segunda-feira] o senhor Lucas Rincón Romero (Embaixador da Venezuela em Portugal), e Iván Legado, que hoje ocupa funções tanto no Ministério de Relações Exteriores como na Petróleos da Venezuela SA (petrolífera estatal), tentaram fazer movimentos financeiros de ativos do Estado, que se encontram no Novo Banco, de Portugal", disse.

Paparoni, que é presidente da Comissão de Finanças da Assembleia Nacional da Venezuela, falava, hoje, numa sessão parlamentar, um dia depois de aquela comissão ter informado que pediu ao autoproclamado presidente interino do país, Juan Guaidó, informações sobre as contas do Estado venezuelano em Portugal e que esses ativos sejam protegidos.

O montante, explicou, foi "um valor próximo dos 1.200 milhões de dólares (1,05 mil milhões de euros), para a banca uruguaia. Especificamente, tentaram transferir para o Banco República e o Banco de Desenvolvimento Económico e Social (Bandes), do Uruguai".

Paparoni recordou que em 15 de janeiro último o parlamento aprovou um acordo de proteção dos ativos da Venezuela no exterior e delegou naquela comissão a coordenação e seguimento de ações que protejam os ativos venezuelanos na comunidade internacional.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.