Nas últimas 24 horas registaram-se, em França, 23.996 novos casos de infeção, contra 25.207 na sexta-feira, segundo os dados oficiais publicados no site do organismo público de saúde francês.

Na quarta-feira, registou-se em França um pico de 31.519 novos casos, o maior desde novembro.

No total, desde o início da epidemia, 3.736.016 infeções foram oficialmente verificadas em França.

A agência de saúde pública informou ainda sobre a morte de 186 pessoas nos hospitais nas últimas 24 horas devido à covid-19, um número inferior às 286 na sexta-feira.

O valor acumulado em França é de 86.332 mortes.

Em França, os dados sobre óbitos em residências são atualizados apenas dois dias por semana, às terças e sextas-feiras.

Nos hospitais, o número de internados por causa da covid-19 caiu hoje para 24.989, contra os anteriores 25.130.

Itália regista baixa no número de infetados e aumento nos internamentos

A Itália registou 18.916 casos de covid-19 e 280 mortes nas últimas 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde, que destaca que 1,386 milhões de pessoas já estão imunizadas após terem recebido a segunda dose da vacina no país.

Com o número de novos casos, menor do que nos últimos dias, a Itália soma agora 2.907.825 contágios desde o início da pandemia.

As infeções hoje anunciadas representam uma diminuição significativa em relação a sexta-feira, com menos 1.586 casos detetados.

Em relação a óbitos, o país registou mais 27 do que no dia anterior, elevando o total para 97.507 mortes.

A pressão hospitalar continua a aumentar e várias unidades já ultrapassaram o nível de alerta. Dos atuais 411.966 pacientes com covid-19, 20.588 estão hospitalizados, mais 102 que sexta-feira, e 2.194 estão em unidades de cuidados intensivos (mais 11).

Em relação à vacinação, a Itália ultrapassou 4 milhões de vacinados, com 4.156.382 doses inoculadas em todo o país, das quais 1.386.406 já receberam a segunda dose e foram consideradas imunizadas.

O ministro da Saúde, Roberto Speranza, assinou hoje o decreto que estabelece as novas restrições em vigor a partir da próxima segunda-feira, 1 de março.

Pela primeira vez desde o início da pandemia, a Sardenha passa a ser "zona branca", uma vez que a melhoria dos dados epidemiológicos tem permitido que as únicas medidas que se mantêm sejam o uso de máscara e distância social.

O ministro italiano da Cultura Dario Franceschini, anunciou hoje, após parecer positivo da comissão técnica do Governo, que a 27 de março, Dia Mundial do Teatro, os cinemas e teatros irão reabrir portas, uma vez que são áreas consideradas áreas de menor risco de contágio do coronavírus.

Os museus também vão voltar a acolher público, mas apenas ao fim de semana e mediante reserva antecipada. Na última quarta-feira, Dario Franceschini transmitiu aos assessores científicos uma série de protocolos para obter permissão para reabrir cinemas, teatros e salas de concerto.

A reabertura só será possível nas "zonas amarelas", áreas do território italiano com menor risco de contágio, como acontece com Roma, onde as limitações são menores.

Os cinemas e teatros devem reduzir significativamente a sua capacidade e o uso de máscara será obrigatório. Os cinemas tentam evitar a falência depois de fechados durante quase um ano. Com as portas fechadas perderam cerca de 60 milhões de espetadores, o que representa um prejuízo de 420 milhões de euros de bilheteira, segundo a associação de gestores. Durante este período, teatros e óperas tiveram de se reinventar para sobreviver

A Ópera de Roma, por exemplo, optou por vender os seus programas aos canais de televisão e atualmente está a filmar "La Traviata", de Verdi, que poderá ser vista na estação pública em 09 de abril.

A San Carlo Opera House de Nápoles, o teatro lírico mais antigo do continente europeu, transmite as suas apresentações na rede social Facebook e toda a sua temporada, até o verão, pode ser vista 'online'.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.