Com dificuldade em falar, Jair Bolsonaro começa por "agradecer a Deus" e aos médicos e enfermeiros que o acompanharam "desde o começo". Mais tarde, agradece também "a todo o Brasil por ter colocado as pessoas certas neste dia".

Quanto ao ataque, o candidato da extrema-direita brasileira refere que, ao início, "a dor era insuportável". "Parecia uma pancada na boca do estômago. Quem já levou uma bolada no futebol?", disse.

No vídeo, Bolsonaro lamentou não poder comparecer ao desfile de Sete de Setembro, na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro.

“Eu me preparava para um momento como esse porque você corre riscos. Mas, de vez em quando, a gente duvida, né? Será que o ser humano é tão mau assim? Nunca fiz mal a ninguém”, afirmou Bolsonaro, no mesmo vídeo.

Depois, com a voz cansada, Jair Bolsonaro refere vários aspetos da sua vida e mostra os elementos da sua família e amigos presentes no quarto do hospital, acrescentando que em breve vão chegar a mulher e um dos filhos. “Tem Deus e depois tem a família”, diz.

No Twitter, o deputado Flavio Bolsonaro (PSL), filho do candidato, referiu esta manhã que "Jair Bolsonaro está mais forte do que nunca e pronto para ser eleito Presidente do Brasil no 1° TURNO!", pode ler-se. "Deus acaba de nos dar mais um sinal de que o bem vencerá o mal! Obrigado a todos que nos deram força nesse momento muito difícil! Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!", continua.

De acordo com os médicos do hospital de Juiz de Fora, Jair Bolsonaro apresenta um quadro médico estável, mas não deverá receber alta hospitalar antes de uma semana.

"Ele está consciente, já acordou, reconheceu os filhos", disse o médico cirurgião Luiz Henrique Borsato, do hospital da Santa Casa de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Bolsonaro foi esfaqueado na quinta-feira, durante uma ação de campanha na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, informou a Polícia Militar.

De acordo com vídeos colocados entretanto a circular na internet, Jair Bolsonoro foi esfaqueado na região do tórax, quando estava a ser carregado aos ombros por apoiantes. Deu entrada no hospital com uma lesão hepática grave.

Flavio Bolsonaro divulgou na sua conta do Twitter o estado de saúde do pai após o ataque, admitindo que “infelizmente foi mais grave” do que o inicialmente avançado.

O suspeito de ter dado a facada foi detido e identificado pela Polícia Militar.

Segundo informações da polícia, acabou por ser espancado por pessoas que estavam no local.

Citado pela plataforma noticiosa “G1″, o comandante do 2.º Batalhão da Polícia Militar de Juiz de Fora, tenente-coronel Marco Antônio Rodrigues de Oliveira, afirmou que o suspeito “alegou que tentou ferir o candidato Jair Bolsonaro por ter divergências de ideias e pensamentos com ele”.

“Ele não tem nenhuma filiação partidária. Falou que [foi] uma questão pessoal dele”, acrescentou o comandante.

O incidente aconteceu em Juiz de Fora, cerca de 200 quilómetros a norte do Rio de Janeiro.

Jair Bolsonaro, candidato da extrema-direita brasileira, está em segundo lugar nas sondagens para as eleições presidenciais que decorrem em outubro.

(Notícia atualizada às 10h47)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.