"Depois que vimos pais a chorar a morte dos seus filhos, não faz sentido que um país não faça nada para impedir a próxima tragédia", afirmou Obama na mensagem semanal transmitida na rádio e na internet, na véspera do Dia dos Pais nos EUA.

Quarenta e nove pessoas, mais o atirador, morreram e 53 ficaram feridas na madrugada de domingo passado na discoteca gay Pulse, em Orlando, quando um homem invadiu o local munido com armas de guerra compradas legalmente.

"Ser duro com o terrorismo, particularmente com esse tipo de terrorismo interno que vimos agora em Orlando e San Bernardino, significa tornar mais difícil, o mais rápido possível, que as pessoas que querem matar americanos tenham em suas mãos armas de assalto capazes de matar dezenas de inocentes", assinalou Obama.

Num incidente similar, um homem e a sua esposa abriram fogo em uma festa de Natal em San Bernardino, Califórnia, matando 14 pessoas. "Como todo pai, fico preocupado com a segurança de minhas filhas todo o tempo. Especialmente quando vemos que a violência pode ser evitada em locais onde os nossos filhos e filhas vão todos os dias: escolas, templos, cinemas, clubes noturnos, à medida que crescem", disse ainda. "É inadmissível que autorizemos um fácil acesso a armas de guerra nesses locais", concluiu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.